Meu roteiro pela Ásia

Foram praticamente seis meses “trabalhando” e estudando um melhor roteiro pra ficar cerca de 30 dias pelo Sudeste Asiático. Pra te ajudar em uma possível viagem por lá – com mais ou menos dias – vou colocar meu roteiro aqui. Ainda não vou detalhar o que fiz em cada cidade, mas esse pode ser o começo do seu próprio desenho pela região.

 

QNSHE6649

Camboja

 

Alguns detalhes importantes. Viajei por cinco países asiáticos: Tailândia, Myanmar, Malásia, Camboja e Vietnã. Algumas pessoas podem olhar o tanto de dias e o tanto de países com certo receio ou susto. Foram muitos dias e poucos países ou foram muitos países pra poucos dias? Essa pergunta só quem poderá responder é você. Outro detalhe importante é que eu fiz praticamente todos os trechos de avião, o que facilita e acelera bastante nosso deslocamento entre cidades e países.

 

IMG_4083

Hoi An, Vietnã

 

Dito isso, vamos aos países e dias para cada um.

1 – Tailândia

 

tailandia

Phi Phi Island

 

Saí do Brasil no dia 16 de dezembro e cheguei na Tailândia em uma tarde do dia 18 de dezembro, em Bangkok. No dia seguinte já fui pra Chiang Mai.

1.1 -Chiang Mai e Chiang Rai (Norte)

 

chiangrai

White Temple, em Chiang Rai

 

Fiquei 3 dias inteiros em Chiang Mai. Colocaria ao menos 5 dias inteiros. A cidade é uma gracinha e tem muitos templos e locais de visitação pra se ver. Além disso, dentro desses meus dias, fiz um bate e volta em Chiang Rai (que fica meio longe pra ir e leva-se um dia inteiro de passeio). Dentre meus passeios, estive no Elephant Nature Park, um santuário de elefantes que deixarei pra um post completo e único.

1.2 – Praias (Sul)

Não fiz a Tailândia de uma maneira contínua e seguida. Então depois de passar por todos esses países, voltei direto pra Krabi. Krabi foi meu ponto no continente (tem gente que escolhe Phuket). Assim sendo, de Krabi fui pra Phi Phi e de Phi Phi fiquei uma noite em Railay Beach.

2 – Myanmar

 

GXGS0424

Hsinbyume Pagoda

 

Coloquei os pés no Myanmar no dia 22 de dezembro. Diferentemente da Tailândia, brasileiros precisam de visto para entrar no país e, se você escolher a via aérea para chegar, o governo te dará duas opções: aeroporto de Mandalay ou de Yangon. Escolhi Mandalay. Por que Myanmar? Bom, talvez o menos conhecido de todos que passei, o Myanmar foi paixão à primeira vista. Seja pelo fato de ainda não ser muito divulgado, seja pelo fato de ter paisagens e templos surreais de lindos, acontece que quis colocá-lo no meu roteiro de todo jeito. E não me arrependi. Foram 9 dias pelo país.

2.1 – Mandalay e Mingun

Cheguei em Mandalay no meio da tarde do dia 22 de dezembro. Meu voo seria apenas no dia seguinte, às 17h45. Então, pesquisei o que fazer. Em Mandalay a pedida foi o pôr do sol na U Bein Bridg, a ponte de madeira mais longa do mundo (para pedestres). Foi um espetáculo.

No dia seguinte, o Greg (um dos amigos que me acompanharam na viagem – o outro, o Dan, chegaria só alguns dias depois) e eu fomos para Mingun, uma cidade bem pertinho de Mandalay. Daria pra ir por terra, mas resolvemos ir pelo rio. A viagem durou uma hora. Foi um dos lugares mais lindos do MUNDO. Por lá conhecemos duas pagodas incríveis: a Pahtodawgyi e a Hsinbyume. Sério. Fiquem com as fotos. Elas são de cair o queixo.

 

IMG_2978

Pahtodawgyi Pagoda, Myanmar

 

2.2 – Bagan

 

BSUAE3625

Bagan, Myanmar

 

Cheguei em Bagan dia 23 de dezembro. A cidade é uma das que mais gostei. Por lá voei de balão e explorei os templos com uma e-bike, espécie de moto elétrica. Fui embora no dia 26 de dezembro, à noite, de ônibus para o Lago Inle.

2.3 – Lago Inle

A viagem entre Bagan e a cidade de Nyaung Shwe, onde está o Lago Inle, era pra ter sido em 8 horas. Porém o ônibus quebrou e ela foi feita em cerca de 12 horas. Chegamos por volta das 5h da manhã com um frio de 11 graus. Por lá eu fiquei dois dias e no roteiro estiveram uma visita de bicicleta a uma vinícola e o passeio pelo lago.

2.4 –  Yangon

Como fazer o caminho de volta para Mandalay se fazia meio impossível (pela distância que já havia sido percorrida), resolvemos descer para Yangon, onde existe um aeroporto internacional. Não teve roteiro pronto para Yangon, fomos na Shwedagon Pagoda, templo com mais de 2.500 anos, e o resto foi aparecendo pelo caminho. A cidade é uma das maiores do país e também uma das mais caóticas. Por lá ficamos dois dias e foi suficiente.

3 – Malásia

 

IMG_7908

Batu Caves, Malásia

 

3.1 – Kuala Lumpur

De Yangon partimos para o Camboja. Tivemos, no entanto, uma conexão de 20 horas em Kuala Lumpur, na Malásia. É claro que aproveitamos o pouco tempo pra conhecer um pouquinho da cidade. Com isso, nós conseguimos visitar KL Tower e sua caixa de vidro, as torres gêmeas Petronas e a caverna Batu. Infelizmente contamos com um fenômeno natural maravilhoso, mas que atrapalha muito os planos dos viajantes: a chuva, rs. Mas valeu a pena. Passaporte carimbado de mais um país e seguimos para o Camboja.

4 – Camboja

 

CXWFE1830

Angkor Wat, Camboja

 

4.1 Siem Reap

Chegamos na tarde do dia 31 de dezembro a Siem Reap, cidade que abriga um dos templos mais lindos que já vi. Como já chegamos com o pé em 2018, decidimos conhecer apenas Wat Thmey. O local é uma espécie de Killing Field, onde se matavam pessoas durante o regime militar de Khmer Vermelho. É um local triste, porém importante da história do país e que deve sim ser conhecido. Por lá também existem muitos monges e um templo lindo.

Depois, voltamos pro hotel e pensamos onde passaríamos o ano novo. A gente chegou a questionar: será que rola festa? Opa, se rola! O nosso ano foi insano, com direito a muita chuva de bebidas (as pessoas começaram a jogar cervejas e drinks pro alto, além de gelos). No dia seguinte, compramos nossa entrada no complexo Angkor Wat para três dias e fizemos os roteiros básicos de qualquer turista. Decidimos ir de tuk tuk, porque de bicicleta poderia até ter sido legal, mas seria muito mais cansativo. No último dia deixamos pra conhecer Beng Mealea, um templo mais afastado da cidade e pouquíssimo visitado (bom pra gente!).

5 –  Vietnã

 

IMG_4413

Hoi An, Vietnã

 

Depois do Myanmar, o Vietnã era meu país mais esperado. Mas, respira aí porque o nosso roteiro foi um pouco (bem) esquisito. Mas eu explico. Eu fui e voltei duas vezes pra Hanói, porque fizemos da cidade nosso “porto” para ir a dois outros locais.

5.1– Hanói

Saímos de Siem Reap em um voo noturno e chegamos em Hanói já tarde da noite. A cidade é bem louca e enorme, mas incrivelmente eu amei os becos todos que existem. Inclusive pensava que era só para pedestres e quase fui atropelada por motos. Mas tudo certo.

5.2– Halong Bay

Não tem como não colocar Halong em uma viagem ao Vietnã (claro que tem, rs, mas é que é lindo demais, mas ninguém é obrigado a nada). Patrimônio da Humanidade tombado pela Unesco e uma das 7 maravilhas do mundo natural, o lugar é mágico. Por lá ficamos 2 dias e uma noite. Valeu super a pena. São 4 horas de distância de Hanói.

5.3 – Sa Pa

 

DDJQE6669

Hotel Topas Ecolodge, Sa Pa, Vietnã

 

Ficamos mais uma noite em Hanói e de lá fomos para Sa Pa. Sa Pa é uma cidade que faz fronteira com a China e é conhecida por ser voltada aos amantes do trekking. Ela está no topo do mundo, com diversas tribos coloridas e lindas, além de ter também muitos campos de arroz. Mas confesso que não fomos lá pra isso. Quando eu vi o hotel Topas Ecolodge e sua piscina de borda infinita eu pirei. E fomos pra lá, sim, pelo hotel, que vale a pena e tem um dos melhores cafés da manhã que já comi em toda minha vida. Se vale a pena “só” por isso? Vale! O hotel em si tem trilhas e campos de arroz.

5.4 – Ho Chi Minh City (ou Saigon)

De Sa Pa voltamos para Hanói e fomos para Ho Chi Minh City, a antiga Saigon. O meu objetivo na cidade foi conhecer os Cu Chi Tunnels, os túneis utilizados pelos vietcongues durante a Guerra do Vietnã. Na cidade foram dois dias. Saigon (o nome é muito mais utilizado pelos locais e eu acho muito mais legal, confesso, rs) é uma cidade interessantíssima. Ela mistura o moderno e o antigo e é uma cidade em plena expansão. Sinceramente? Em alguns pontos até lembra Nova York. Vale a pena ir.

Aí, depois de Ho Chi Minh, foi a vez de voltar pra Tailândia, já nas praias, como disse lá em cima. Depois de Krabi, fui pra Bangkok e parti pro Brasil.

É isso! No próximo post eu falo tudo sobre meus gastos. Espero que tenham gostado.

 

IMG_1724

Halong Bay, Vietnã

 

Anúncios